Mostrando postagens com marcador charlie brown jr. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador charlie brown jr. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Charlie Brown Jr.: Chorão e Champignon fazem as pazes após discussão; veja vídeo

O vocalista Chorão e o baixista Champignon, integrantes da banda Charlie Brown Jr., fizeram as pazes após discussão ocorrida durante um show em Apucarana (PR) no sábado (8). Na ocasião, o baixista chegou a deixar o palco, após receber duras críticas do cantor. A confirmação do entendimento entre a dupla foi dada pela assesssoria de imprensa do grupo na tarde desta segunda-feira (9).

Segundo a assessoria, Champignon esteve na casa de Chorão nesta segunda para esclarecer o desentendimento. A banda divulgou um vídeo no final da tarde para esclarecer o caso, que é antigo -- as referências feitas por Chorão no show abordam a saída anterior de Champignon da banda, que aconteceu em 2005 (veja abaixo). Nele, Chorão garante a permanência de Champignon no grupo.

 

 

Fonte: UOL

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Chorão e Champignon, do Charlie Brown Jr., fazem as pazes após discussão em show

O vocalista Chorão e o baixista Champignon, integrantes da banda Charlie Brown Jr., fizeram as pazes após discussão ocorrida durante um show em Apucarana (PR) no sábado (8). Na ocasião, o baixista chegou a deixar o palco, após receber duras críticas do cantor. A confirmação do entendimento entre a dupla foi dada pela assesssoria de imprensa do grupo na tarde desta segunda-feira (9).

Segundo a assessoria, Champignon esteve na casa de Chorão nesta segunda para esclarecer o desentendimento. Uma coletiva de imprensa está prevista para esta terça-feira (11) e uma nota de esclarecimento deverá ser enviada ainda nesta tarde.

Charlie Brown Jr.: Chorão humilha baixista no palco

A volta do baixista Champignon ao Charlie Brown Jr., no fim do ano passado, pode ter durado menos do que os fãs do grupo esperavam. Champignon abandonou o palco durante show da banda em Apucarana, no Paraná, após um longo discurso do vocalista Chorão, que acusou Champignon de ter mentido após sair da banda, em 2005.

Em um vídeo publicado por um fã no último domingo (assista no fim da página), Chorão rebate as acusações de que teria roubado os outros integrantes da banda, o que teria resultado na saída de Champignon, do guitarrista Marcão, e do baterista Renato Pelado. Marcão também voltou ao Charlie Brown no ano passado.

"Eu te aceitei de volta depois de tudo que tu fez, tá ligado? Você não tem nem coragem de falar a verdade (sic)", acusa Chorão, para espanto do público, enquanto Champignon permanece estático.

"Marcão, chega aí. Eu roubei alguém nessa p**ra dessa banda?", pergunta Chorão. "Não!", responde o guitarrista. A partir daí, Chorão passa quase cinco minutos acusando Champignon sem interrupções.

"Eu não aguento mais. Sabe porque eu tirei o microfone dele? Porque é o seguinte: ele vai falar mentira, tá ligado? O cara toca pra c**alho. Mas enganou vocês. Roubei o c**alho, eu trabalhei muito por esse bagulho. E no final da parada fui acusado de ladrão", desabafou.

Sarcástico, Chorão ironizou a participação de Champignon na banda Nove Mil Anjos, projeto formado após sua saída do Charlie Brown Jr., e que incluia Junior Lima na bateria.

"Não desejo mal nenhum pra ele, mas é assim. Ele é um anjo, do Nove Mil Anjos. Champignon, você é o cara mais honesto do Brasil. Você tinha que ter mantido a humildade e ter falado a verdade pra galera, tá ligado? Você continua o mesmo. Você se f**eu e não aprendeu nada. Você voltou por causa de dinheiro, você não voltou porque você queria tocar no Charlie Brown Jr. Muito obrigado, depois de ter enganado a galera e a mim também".

"Eu fui muito injustiçado. Meu filho apanhou na escola por causa dessa p**ra, passaram na porta da minha casa me xingando, mas aí - não corri", disse. Ele se f**eu, tentou duas vezes, e quando tudo acabou foi bater na minha porta. Eu aceitei o cara. Gostava dele pra caralho. Mas infelizmente o cara não admite que fez uma pá de merda, porque ele não quer que vocês achem que ele tem defeito. Não acredito, não acredito. Vai com Deus. Pensei que as coisas tinham mudado. Eu tô por aqui. Um papelão. Deus te abençoe, viu moleque?", continuou.

Chorão avisa que vai tocar a música O Preço, do segundo álbum do Charlie Brown Jr. (Preço Curto Prazo Longo, 1999), mas Champignon deixa o palco sob gritos de "arregou".

A banda então começa a música Céu Azul sem o baixista, e termina o show sem a presença de um de seus integrantes mais emblemáticos. "Uma pena, realmente. Talvez seja até a hora. Mas aí, não vou fraquejar", concluiu Chorão.

Por mais que em cima do palco tudo parecesse bem, a relação entre Chorão e os outros integrantes do Charlie Brown Jr. - que ainda tem o guitarrista Thiago Castanho e o bateristaBruno Graveto - não funcionava bem nos bastidores.

Recentemente, Chorão foi visto pegando um voo diferente do restante da banda na ponte-aérea Rio-São Paulo, apesar do grupo ter o mesmo destino, com intervalo inferior a uma hora entre os dois voos.

Em resposta ao Virgula Música, a assessoria do Charlie Brown Jr. não soube explicar o que motivou a discussão, nem confirmou se Champignon permanece ou não no grupo.

Assista ao vídeo:

 

sábado, 24 de março de 2012

Charlie Brown Jr lança DVD no Rio e em SP

Chorão mandou avisar que seu escritório ainda é na praia, mas o vocalista do Charlie Brown Jr. não é mais o mesmo. Aos 41 anos, Alexandre Magno Abrão parece ter mudado bastante se comparado ao rapaz que criou versos como "odeio gente chique, eu não uso sapato, mas que se f..." e "intelecto de c.. é rola", tão repetidos por adolescentes em 20 anos de banda. "Sou um cara dedicado que escreve com o coração. Tenho um estilo próprio de compor, a galera curte minhas letras e isso me deixa bem sossegado e feliz. Acho que por isso acabei me tornando uma referência para algumas pessoas", diz o cantor em entrevista ao G1. 


Os integrantes do Charlie Brown Jr.: Marcão, Champignon, Chorão, Thiago Castanho e Bruno Graveto (Foto: Divulgação) 



No sucesso mais recente, "Céu azul", Chorão versa sobre uma "preguiça boa" que é "tão natural quanto a luz do dia". A letra ainda vai por frases como "Uma palavra amiga, uma notícia boa, isso faz falta no dia a dia" e "só vou gastar energia pra beijar sua boca".
Muitas das músicas anteriores têm nas letras os percalços de um sujeito que se diz "pobre", na tentativa de conquistar uma garota. Hits como "Proibida pra mim" e "Você vai de limusine, eu vou de trem" deixam essa ideia clara já no título. "É uma situação corriqueira no universo da onde eu vim. Para contar uma história dessas, tem que ter vivência. Quem nunca viveu isso que atire a primeira pedra", convoca.
Após a entrada e saída de músicos, o grupo santista de pop rock lança o DVD "Música popular caiçara" no Rio e em São Paulo, com quatro integrantes da formação original (Marcão, Champignon, Chorão e Thiago Castanho), somados ao baterista Bruno Graveto. "Eu sempre achei que seria muito difícil [uma volta dos quatro], mas que era possível. Assim que todos estivessem dispostos a se entender e tocar juntos, a coisa ia fluir", explica.
Charlie Brown Jr. interagiu com a galera e contagiou o Planeta (Foto: Eduardo Biermann/Divulgação) 
Sem os atritos de antes e sem o mesmo pavio curto que já o envolveu em casos de agressão e outras confusões (como quando deixou um avião após discussão, em 2008), o vocalista diz não ter mais com o que se preocupar. "O problema agora é falta de tempo no show pra tocar tudo que a galera quer", garante. Após contratos com as gravadoras EMI e Sony, hoje o grupo lança discos por conta própria. "Muitas gravadoras quebraram e outras ainda vão quebrar. Sou de uma época em que se vendia muito disco, e um disco bem vendido gera uma renda legal. Hoje em dia, o carro-chefe de qualquer artista são os shows."
E deixe para Lobão o papel de falar mal de Restart, porque Chorão até defende a banda colorida, embora sem tanto empenho. "O novo sempre vem e encontra o seu espaço, se isso é apenas uma cena ou alguma coisa que vai se estabelecer, a gente vai ver no futuro. Quanto a ter fãs em comum com essa e outras bandas, é claro que existem. Música é democracia pura."
Copiado de G1

Matérias top 5 da semana